António Gomes de Sousa Varela (1863-1945)

 

 

Por Bernardo Valente de Sousa Varela

Funcionário Administrativo da Mina do Espadanal

 

 

 

 

Meu pai António Gomes de Sousa Varela nasceu na risonha e vizinha povoação de S. João da Ribeira aos 2 de Abril de 1863. Casou aos 21 anos com minha querida mãe, que era sua prima carnal, e veio estabelecer residência nesta vila da Marmeleira, por quem teve sempre grande carinho, onde faleceu aos 10 dias do mês de Janeiro de 1945, contando portanto 82 anos incompletos.

Dotado de invulgares e excepcionais dotes de inteligência, abraçou de muito novo a vida comercial, tendo-se distinguido nesta região como grande negociante de vinhos e seus derivados e azeites.

Patriota por temperamento, abraçou com amor e devoção o ideal da Liberdade servido pela República. Tomou parte activa na revolução de 31 de Janeiro de 1891 e na de 5 de Outubro de 1910, que definitivamente implantou a República em Portugal. Teve as melhores relações pessoais com os grandes apóstolos da Democracia, tendo sido bom amigo dos Srs. Drs. Manuel d’Arriaga, Jacinto Nunes, Marcelino Mesquita, Bernardino Machado, António José d’Almeida, Brito Camacho, Afonso Costa, Ginestal Machado, António Granjo, Domingos Pereira e tantos outros.

Quando da revolução do 5 de Outubro, a cidade de Santarém foi-lhe entregue à sua guarda até à nomeação do primeiro Governador Civil da República em Santarém e que foi o Sr. Dr. Ramiro Guedes.

Alma nobre, espírito forte, coração magnânimo mas rígido, era leal e tolerante. Ainda no tempo da monarquia, diversas vezes foi eleito vereador da Câmara Municipal de Rio Maior, onde a sua opinião era ouvida com simpatia e respeito. Foi por alguns anos Presidente da Comissão Municipal do Partido Republicano Português do Concelho de Rio Maior, e foi o seu primeiro Administrador do Concelho após o advento da República.

Algumas vezes eleito Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, ali fundou conjuntamente com António Custódio dos Santos, Eugénio Casimiro e Amarino da Mata Calisto, o semanário republicano “O Riomaiorense”, de que foi Director, jornal lido e muito apreciado no país.

Quando da formação dos partidos da República ingressou no Partido Republicano Evolucionista chefiado pelo Ilustre Doutor António José d’Almeida de quem meu pai foi querido amigo. Foi Presidente da Junta Distrital de Santarém daquele partido. Foi Presidente da Junta Geral do Distrito de Santarém por alguns anos. Foi Senador da República em diversas legislaturas e no parlamento serviu o País e os seus ideais o melhor que soube e pôde. Na Câmara Alta foi seu secretário por alguns anos.

 

Foi membro do Conselho Fiscal da Caixa Geral dos Depósitos, Administrador do 1.o Bairro de Lisboa e Administrador do jornal “A Voz do Operário”.

 

Assim foi meu querido pai, que morreu arreigado ao seu idealismo e sonhando sempre no engrandecimento da nossa Pátria, pelo Amor entre os homens e no regime de Liberdade, emancipação máxima do ser humano.

 

 

Bernardo Varela

Março de 1945

 

Figura 1 - António Gomes de Sousa Varela, Anos 40. © Colecção António Feliciano Júnior, Arquivo EICEL1920.

Nota:

O presente texto foi manuscrito por Bernardo Valente de Sousa Varela em Março de 1945, num diário iniciado a 18 de Julho de 1936 e dedicado à sua filha Maria Júlia Varela, a quem devemos a gentileza da autorização para a sua publicação integral.

Director e Proprietário: Nuno Alexandre Dias Rocha, 2015-2018. © Todos os direitos reservados.                                                                                             Distribuição gratuita

  • w-facebook
  • w-tbird
  • w-googleplus