[Reportagem de Arquivo) A Visita do Ministro da Economia (1)

As Minas de Lenhite de Rio Maior em vias de franca progressão, foram visitadas por entidades ilustres, entre elas o Sr. Ministro da Economia.

 

In O Riomaiorense (3a. Série) no. 73, de 5 de Dezembro de 1951.

 

 

 

 

Em visita particular às instalações das Minas de Lenhite do Espadanal, chegou a esta vila, cerca das 15 horas do dia 25, o Sr. Ministro da Economia, que, como já dissemos no último número do nosso jornal, em informação aliás incompleta, era aguardado junto do cais do caminho de ferro mineiro pelos senhores Dr. Astério Rosa, Administrador Delegado da Empresa Industrial Carbonífera Electrotécnica, Lda., proprietária das referidas minas; Eng.o Cílio Rosa, Administrador da mesma empresa; Eng.º Falcão Mena, Director Técnico das Minas; Major Cabral de Quadros e Dr. Branco, respectivamente, Presidente e Secretário da Câmara Municipal; Dr. Vidigal Pais, médico da empresa, e Dr. Calado da Maia, que representava a União Nacional, na ausência do Presidente do mesmo organismo; Eng.os Castro e Sola, Director Geral de Minas; Ferreira do Amaral, Director Geral dos Serviços Industriais; Alexandre Vasconcelos Matias, Chefe dos Serviços da Direcção de Combustíveis; Machado Gomes; Eduardo Carvalhal; Ventura Amaral; Guimarães dos Santos, Director do Fomento Mineiro; António Neto, Chefe de Brigada de Sondagens; Agentes Técnicos António Cavaco e Amílcar Jordão; pessoal técnico e dirigentes da Mina do Espadanal, representantes da imprensa, etc.

 

S. Ex.ª o Senhor Ministro vinha acompanhado do seu secretário, Sr. Dr. Sabino da Costa.

 

Após os cumprimentos de apresentação o Sr. Ministro, atravessando o cais, dirigiu-se ao plano auto-motor (figura 1), onde o Sr. Eng.º Falcão Mena lhe apresentou a planta da nova fábrica de briquetes, que irá consumir diariamente quatrocentas toneladas de lenhite, para o fabrico diário de cem toneladas de briquetes e cem de lenhite seca, produção esta que pode aumentar, visto a extracção diária económica de lenhite poder subir até quinhentas toneladas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Senhor Ministro observou com todo o interesse o local e os planos da fábrica a construir (figura 2), que prevêem a montagem de um secador rotativo com noventa toneladas de peso e que tem por função extrair a humidade da lenhite, depois de triturada em moinhos de martelos.

Depois de seca, a lenhite seguirá para a prensa, que pesa trinta e duas toneladas, onde é comprimida sem aglomerante à alta pressão de 1200k por cm2.

 

Este sistema de briquetagem é o primeiro a ser montado em Portugal e, mesmo na Europa, além da Alemanha, país onde se faz um grande aproveitamento das lenhites. Os briquetes a produzir são no género de tijoletes, com18x5x5, podendo ser produzidos em mais pequenas dimensões, para usos domésticos.

Aqueles destinam-se a consumos industriais, têm 4000 calorias e o seu preço é bastante módico. Depois destas informações, Sua Excelência e a comitiva subiram ao local onde se encontra o guincho de extracção e onde o Sr. Director Geral de Minas, Eng.o Castro e Sola e o Director do Fomento Mineiro informaram o Senhor Ministro, da importância dos jazidos de Rio Maior que, em reservas certas, ascende a 16 milhões de toneladas, estando ainda as sondagens em curso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Envergando trajos apropriados, todos os visitantes desceram ao fundo das minas, pelo plano inclinado (figura 3), onde observaram as galerias que medem uma extensão de 9km, e onde circula um pequeno comboio que transporta a lenhite das frentes de trabalho até ao plano.

Figura 1 - Chegada das entidades ao plano automotor da Mina do Espadanal. Em frente, à direita: Eng. Ferreira do Amaral, Dr. Ulisses Cortês e Eng. Falcão Mena. © Colecção Luís Falcão Mena, Arquivo EICEL1920.

Figura 2 - Apresentação do projecto da fábrica de briquetes da Mina do Espadanal. Em primeiro plano, da esquerda para a direita: Eng. Ferreira do Amaral, Dr. Astério Rosa, Dr. Ulisses Cortês, Eng. Luís Falcão Mena e Eng. Alexandre Matias. © Colecção Luís Falcão Mena, Arquivo EICEL1920.

Figura 3 - Descida das entidades pelo plano inclinado de extracção da Mina do Espadanal. © Colecção Luís Falcão Mena, Arquivo EICEL1920.

 

Director e Proprietário: Nuno Alexandre Dias Rocha, 2015-2018. © Todos os direitos reservados.                                                                                             Distribuição gratuita

  • w-facebook
  • w-tbird
  • w-googleplus