Evocação do Dr. Fernando Sequeira Aguiar

 

 

                                         Por Rui Manuel Fernandes de Andrade

                                         Jurista

 

 

 

 

É-me particularmente grato vir às páginas do “velho” “O Riomaiorense”, como me foi solicitado, evocar a figura do ilustre cidadão, riomaiorense por adopção, que foi o Dr. Fernando Sequeira Aguiar, com quem tive o gosto de privar e de manter longas conversas, às vezes pela madrugada dentro.

Nascido em Lisboa, na freguesia das Mercês, em 14 de Agosto de 1910, aí fez a instrução primária, frequentando depois o Liceu Passos Manuel, onde realizou os estudos liceais. Cursou entretanto a Escola Médico-Cirúrgica (ao tempo situada ao Campo de Santana) onde fez a sua licenciatura em medicina.

Durante a II Guerra Mundial foi destacado como expedicionário para o território de Cabo Verde (ao tempo sob administração portuguesa) onde serviu como oficial miliciano médico.  Em Cabo Verde,  haveria de nascer a sua filha Manuela Aguiar, também médica, hoje já aposentada.

Em 15 de Novembro de 1945, satisfazendo o desejo de seu pai, veio exercer medicina para Rio Maior. Aqui teve dois consultórios, mas aquele em que permaneceu mais tempo, foi o que se situava na Rua David Manuel da Fonseca, que muitos recordam, onde dispôs de uma grande inovação para a época - um aparelho de radioscopia. Creio ter sido o único clínico desta terra a dispor de tal equipamento. Devo acrescentar que esse equipamento  foi, há alguns anos atrás, entregue à Santa Casa da Misericórdia  de Santarém para ser integrado num núcleo museológico em organização naquela entidade. Em Rio Maior também pertenceu durante dezenas de anos ao corpo clínico da Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior, sendo de registar a sua permanente disponibilidade no exercício da sua actividade. Trabalhou também como médico da Casa do Povo e dos Serviços Médico-Sociais da Caixa de Previdência. Fez ainda parte do corpo clínico  do Centro de Saúde de Rio Maior.

Também desempenhou durante longos anos e em períodos distintos a actividade de médico-legista, no Tribunal Judicial de Rio Maior. Dessa actividade resultou uma maior proximidade que com ele mantive.

Recordar igualmente a sua actividade na qualidade de médico do Corpo de Bombeiros Voluntários de Rio Maior, a partir de 1946, que exercia com muito entusiasmo e  dedicação, ficando orgulhoso de envergar a sua farda de tenente médico.

Outra faceta que conhecemos ao Dr. Aguiar, a sua colaboração como cenógrafo do Grupo Cénico Zé P'reira. Este grupo de teatro que existiu em Rio Maior durante longos anos, sob a direcção do Sr. Ernesto Alves (cujo busto se encontra no cine-teatro de Rio Maior), antigo jornalista do prestigiado jornal diário “O Século”, especializado na área do teatro, tinha a colaboração dedicada e entusiasta do Dr. Aguiar, que não só acompanhava o grupo em Rio Maior, como nas suas actuações fora de Rio Maior.

No ano de 1958 o Dr. Sequeira Aguiar deu à estampa um livro de sua autoria intitulado “POR RIO MAIOR”,  em que reuniu um conjunto de artigos que tinham sido publicados ao longo do tempo no jornal local “O Riomaiorense”, jornal então dirigido por Armando Pulquério, artigos em que analisava questões urbanísticas e também a questão da localização da nova igreja paroquial.  Esse livro teve prefácio do Dr. Alexandre Laureano Santos, advogado, ao tempo ainda residente em Rio Maior, e que é o patrono da nossa biblioteca municipal.                                                                                                                               

 

Figura 1 - Dr. Fernando Sequeira Aguiar, Década de 90. © Arquivo Região de Rio Maior.

Director e Proprietário: Nuno Alexandre Dias Rocha, 2015-2018. © Todos os direitos reservados.                                                                                             Distribuição gratuita

  • w-facebook
  • w-tbird
  • w-googleplus